Procrastinação e Felicidade

Introdução:

A procrastinação nos dias atuais em nossa sociedade. Assim dizendo, a arte de “empurrar com a barriga”. O que de fato é uma arte, levando-se em consideração os absurdos que fazemos para nos mantermos nessa frequência. É praticamente um malabarismo mental orquestrado pelo ego. Justificativas, negações, desculpas, vitimismo, etc. A lista é infinita, como o universo é infinito. O resultado disso é uma estagnação em termos de desenvolvimento pessoal e crescimento.

A arte de “empurrar com a barriga”:

Questiona-se, então, uma pessoa que está querendo emagrecer, algo com embasamento científico, como: “Fale um pouco sobre metabolismo basal, lipólise ou o que você entende em relação à resistência de leptina e como isso afeta o processo de emagrecimento”. Por uma questão de lógica, essa pessoa tem alguma opinião a expressar em relação ao questionamento, pois, ela está em busca do emagrecimento, de um objetivo. E por conta disso, ela está estudando, adquirindo conhecimento, aplicando na prática, ou seja, dedicando-se para alcançar o seu objetivo.

Mas, infelizmente não é isso que ocorre na maioria dos casos. Não somente na questão de emagrecimento ou boa forma física, mas, em qualquer âmbito da vida. A zona de conforto combinada com a autossabotagem, e outros fatores, resulta em uma procrastinação feroz por parte da pessoa, limitando ou até impedindo que ela consiga conquistar as suas metas e/ou objetivos.

Essa procrastinação ocorre por vários motivos. A extensa jornada de trabalho, que consome um terço da vida de uma pessoa, e que a exaure a ponto de chegar em casa e se jogar na cama, ou desejar entrar em uma hipnose profunda por meio de televisão/computador/celular. Frustrações, sonhos não realizados, baixa autoestima, meu gato me arranhou, etc., problemas de todos os tipos que fazem com que a pessoa acumule pensamentos e sentimentos negativos, por conseguinte, fazendo-a adentrar em um estado de desespero silencioso. Acrescenta-se aí, então, a gigantesca demanda por entretenimento, que gera uma carência equivalente. Também o medo, que resulta respectivamente em: zona de conforto – paralisia e/ou autossabotagem – fuga.

Existem outros fatores a serem levados em consideração, a ponto de tentar chegar a uma determinada racionalização em termos de procrastinação, levando-se em conta o contexto desta postagem. Acontece que, isso é irrelevante no final das contas, porque não é focando no problema que ele se resolverá, pelo contrário, deve-se focar na solução do determinado problema para que se chegue a uma resolução.

 

As consequências:

As consequências são desastrosas, lógico. A limitação ou até paralisação, em alguns casos, do desenvolvimento pessoal e crescimento de uma pessoa. Em outras palavras, o desencadear da situação resulta em um enorme desperdício de tempo e energia, por um período de tempo indeterminado, enquanto a pessoa permanecer vibrando nessa frequência. E a coisa fica pior ainda, porque procrastinação gera somatização. O “empurrar com a barriga” é um caminho direto e certo a um precipício, metaforicamente falando.

Trabalha-se por oito horas, dorme-se por oito horas, procrastina-se por oito horas. Esse é o comportamento habitual, vamos dizer assim, do ser humano na face do planeta Terra no ano da graça de 2017. Sexta-feira é uma alegria só: “Até que enfim é sexta-feira, porque não vou precisar trabalhar nos próximos dois dias”. E Domingo é aquela lamúria: “Ó céus, ó vida, está terminando o fim de semana”. Que espécie de frequências as pessoas emanam com esses pensamentos/sentimentos/ações? Lembrando que, no universo, tudo que vai, volta.

Somando todos esses fatores, chega-se a uma conclusão bastante interessante. Um terço da vida trabalhando, um terço dormindo e o outro terço “empurrando com a barriga”, ou seja, procrastinando, temos o quê? Mais uma reencarnação desperdiçada com atividades irrelevantes e improdutivas em termos de graduação consciencial. Preste atenção, em termos de graduação consciencial. Isso não é uma crítica nem um julgamento, até por quê, já fui um grande mestre na arte de “empurrar com a barriga”.

 

O que realmente é importante:

Desenvolvimento pessoal, crescimento exponencial, trabalhar por dinheiro, o real trabalho, dormir, comer, divertir-se? O que realmente importa no final das contas? Qual o sentido da vida? Na minha humilde opinião, o sentido da vida, ou seja, o que realmente é importante é ser feliz. Independentemente de qualquer outro fator. Se você é feliz, então está tudo certo, porque é isso que você estará, incessantemente, emanando em seu entorno. Se todos fossem felizes, ou pelo menos certa parte de nós, a Terra já teria ascendido a uma esfera superior de amor e de paz, simples assim.

Questões como, dinheiro, onde trabalha, onde você mora, que carro dirige, o que veste, etc., são irrelevantes em termos de felicidade. A felicidade é algo interno, não externo, ou seja, nada que venha de fora fará alguém realmente feliz, isso não faz sentido nenhum. Gandhi morava em uma barraquinha, vestia um lençolzinho que ele mesmo tecia, se alimentava quando lembrava, e era o cara mais feliz do mundo.

Já imaginou Gandhi, indo à academia puxar ferro, pra ficar sarado, e seu Personal Trainer falando: “Tanquinho Gandhi”. Assistindo a novela das oito ou futebol. Se entorpecendo com bebidas alcoólicas pra se divertir. Ou quem sabe, trabalhando feito um burro pra ganhar dinheiro, sabe-se lá por quê. Parece ridículo, certo? Mas, é exatamente o que a grande maioria absoluta de nós faz.

É importante ressaltar, que, todas essas atividades não são negativas, em termos. De acordo com o nosso atual nível de consciência em relação à realidade do universo, nós necessitamos, ainda, exercer essas determinadas atividades para que supramos, pelo menos parcialmente, a carência de amor que existe em todos nós, ou seja, faz parte. Isso se resolverá quando, nos esvaziarmos, como os Taoistas dizem. O vazio que é preenchido com o todo.

 

Conclusão:

Enfim, conclui-se que, a procrastinação faz parte do processo de graduação consciencial. Não precisaria ser assim, a evolução da consciência poderia acontecer com 100% de amor. Mas, de qualquer forma, o importante é buscar, hoje, findar com esse ciclo vicioso e nocivo chamado procrastinação. Para que, se abram as portas e o caminho ao crescimento exponencial infinito em todos os aspectos da consciência, ou seja, à real felicidade.

À eterna busca pelo tal crescimento exponencial infinito em todos os aspectos da consciência.

Sobre André Buzata Soares

À eterna busca pelo tal crescimento exponencial infinito em todos os aspectos da consciência.

Tags , , .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe um comentário: