Um Milagre Chamado Óleo de Coco

Introdução:

Qual a definição de milagre? Segundo o tio Google é o seguinte: “ato ou acontecimento fora do comum, inexplicável pelas leis naturais”. Essa é uma ótima definição de milagre, um fato ocorrido que, não se encontra uma explicação lógica ou racional para tal evento ou coisa.

No caso do óleo de coco, há sim, de fato, cientificamente comprovada, uma explicação para tal milagre. Na verdade, apenas na plataforma acadêmica do Google há mais de 100.000 citações científicas sobre essa semente abundante nos trópicos.

Pode parecer um exagero definir o coco como um milagre da natureza. Mas, acontece que não é exagero algum. Basta pesquisar sobre o assunto e ver uma quantidade absurda de pessoas e profissionais da área da saúde afirmando isso. Inclusive, existem vários trabalhos que usufruem dessa definição, como por exemplo: “The Coconut Oil Miracle” do Dr. Bruce Fife, também, “Coco – o Milagre de uma Gordura” do Dr. Sérgio Puppin.

Entenda que esses trabalhos foram feitos por especialistas de nível mundial, com um extensíssimo conhecimento e experiência na área da saúde. E não são um ou dois, mas, muitos. Também, as afirmações têm embasamento científico. Portanto, chega-se a conclusão lógica de que essas pessoas sabem muito bem o que estão dizendo.

Ácidos graxos de cadeia média – o grande trunfo do óleo de coco:

O óleo de coco, na verdade, o coco em si, é um dos melhores alimentos do mundo, simples assim. De fato, é o segundo melhor alimento que pode ser ingerido por um ser humano adulto, só perde para o ovo. Quem afirma isso é o Dr. Lair Ribeiro – Médico Cardiologista e Nutrólogo, que se auto-intitula um dos maiores especialistas do Brasil no assunto. Em uma entrevista o Dr. Ribeiro expressa que já estudou a grande maioria dos livros (relevantes sobre o assunto) existentes sobre o óleo de coco, como também uma infinidade de trabalhos científicos.

Obviamente que o melhor alimento do mundo para um ser humano, ou qualquer outro mamífero, é o leite materno, mas, como citado anteriormente, um ser humano adulto. De fato, o leite materno possui cerca de 19% de ácido láurico em sua composição, um ácido graxo de cadeia média que apresenta excepcionais benefícios ao organismo do ser humano. Já o óleo de coco, possui em sua composição de gorduras 47% de ácido láurico.

Levando-se isso em consideração, então, um ovo frito com óleo de coco é de fato, uma excepcional refeição com uma densidade nutricional incomensurável, apesar de ser uma fritura. Aliás, para toda e qualquer fritura o recomendável é utilizar o óleo de coco. Óleos vegetais refinados são literalmente venenos e devem ser evitados, todos eles.

 

Óleo de coco é saúde:

O ácido láurico, quando ingerido, se transforma em uma estrutura denominada monolaurina. A monolaurina é um antibiótico natural que combate fungos, bactérias, vírus e até parasitas. Em locais em que o coco é consumido em abundância, praticamente não existe diabetes, obesidade, doenças neurológicas, problemas cardiovasculares, nem AIDS. O vírus HIV se prolifera, mas, não se desenvolve a AIDS.

Obviamente que a população dessas localidades possui uma alimentação completamente diferente à nossa. A ingestão de carboidratos refinados e líquidos, grãos, produtos alimentícios e afins, é bastante inferior em comparação ao que habitualmente se consome pela grande maioria da população ocidental. Portanto, o consumo do óleo de coco por si só não é o suficiente para fazer usufruto de seus benefícios, ou seja, os resultados que se pode obter com essa semente só pode ser obtido com uma boa alimentação combinada. Isso é mais do que óbvio.

Levando-se em consideração o que foi escrito e destacado em negrito no primeiro parágrafo deste tópico, é realmente algo impressionante. Um alimento que é abundante e barato, inclusive no Brasil, ocasionar esse tipo de reação favorável em doenças graves, que, para serem tratadas convencionalmente, ou seja, pela medicina tradicional, custa muito. Fica a dica pra quem não entende o porquê de tanto esforço da mídia e instituições governamentais para denegrir a imagem do óleo de coco.

Imagine quantos bilhões de dólares a indústria farmacêutica e a indústria médica, que, são dos mesmos donos, perderiam de faturar se as pessoas descobrissem que óleo de coco pode tratar com eficiência diabetes tipo II, Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas, problemas cardiovasculares, também, impedir que HIV se desenvolva em AIDS, fora diversas outras doenças e complicações. Nem pensar, certo? Vamos utilizar a mídia, da qual somos donos também, para estimular o povo a não consumir esse tal de óleo de coco.

 

Os inacreditáveis benefícios do óleo de coco:

– Não vira gordura trans em contato com calor; Pode ser utilizado para cozinhar/fritar sem problema, desde que não se abuse do ponto de fumaça, pois, há uma espécie de “perda nutricional” do óleo de coco neste estado.

 

– Estimula a produção de corpos cetônicos; Essas substâncias denominadas corpos cetônicos são um excelente alimento para o nosso cérebro. Ocasionam, também, inúmeras reações no organismo do ser humano. Pesquise sobre dieta cetogênica e autofagia.

 

– Reduz a gordura visceral, aquela que mata; A gordura visceral fica localizada na região da cintura, intra-abdominal, entre os órgãos. É uma gordura perigosa, pois, prejudica o funcionamento dos órgãos internos.

 

– Eleva o metabolismo basal; Os ácidos graxos de cadeia média presentes no óleo de coco são utilizados pelo organismo puramente como fonte de energia, resultando em um efeito termogênico, elevando o metabolismo basal.

 

– Não deixa o cabelo cair; Simples assim, quem passa o óleo de coco no cabelo, não fica careca. Pergunta pro Dr. Lair Ribeiro. Também, é um excelente hidratante capilar.

 

– Pode ser utilizado como protetor solar; Apesar de não haver no momento presente, algum estudo científico comprovando a eficácia desse argumento.

 

– Substitui o leite materno, em termos; Em determinados países onde a culinária do coco é abundante, a água de coco é utilizada como substituta do leite materno, pela sua alta taxa de ácido láurico em sua composição, que é também presente no leite materno.

 

– Auxilia mulheres na gestação e amamentação; O leite materno, como citado anteriormente, possui um ácido graxo de cadeia média denominado ácido láurico. O ácido láurico, quando ingerido, torna-se monolaurina, que é um antibiótico natural, ou seja, protege o bebê. Esse ácido graxo está presente no óleo de coco também. O consumo do óleo de coco, então, resulta em uma espécie de complementação, tornando o leite materno mais nutritivo.

 

Esses são alguns dos inacreditáveis benefícios do óleo de coco. São tantas coisas que passa-se a impressão de “é bom demais para ser verdade”. Acontece que, pelo menos a grande maioria desses benefícios citados aqui, e diversos outros, são cientificamente comprovados. Basta uma rápida pesquisa na internet para confirmar isso.

 

A comprovação do óleo de coco, precisa?

Não basta expressar, cientificamente, os benefícios e afins do consumo do óleo de coco. É fundamental comprovar esse fato, para que essa não seja apenas mais uma postagem em prol do consumo do coco e seus produtos. Será? Acontece que, coco é saúde em todos os sentidos. Encontra-se comumente depoimentos de pessoas que obtiveram reações favoráveis a diversas doenças de várias naturezas, entre outros benefícios.

Agora, como comprovar esses benefícios do consumo do óleo de coco, e essas reações favoráveis a doenças graves? O fato é o seguinte, se eu estivesse sofrendo de alguma dessas doenças, ou, conhecesse alguém que estivesse passando por essa situação. E ouvisse falar de um tal de óleo que poderia ajudar, uma substância da própria natureza, não um medicamento artificial. Eu não ligaria nem um pouco para o que a mídia estivesse divulgando sobre, ou a opinião de outras pessoas. Eu buscaria esse tal de óleo.

Lógico que, quando há comprovação científica, é mais fácil e de certa forma responsável usufruir-se de determinada substância. A comprovação científica, saber se uma substância funciona ou não, quais são suas reações em longo prazo no ser humano, como utilizar essa determinada substância, enfim. Mas, acontece que, existe uma infinidade de livros, pesquisas, trabalhos científicos, depoimentos de profissionais da área da saúde, comprovando os efeitos benéficos do óleo de coco no organismo do ser humano, o que mais precisa?

O óleo de coco assume um efeito favorável em determinadas doenças neurológicas. A doença de Alzheimer, por exemplo, que é comumente denominada: “A diabetes do cérebro”. Em determinados casos, isso se deve ao fato da dependência do cérebro de glicose. O consumo do óleo de coco estimula a produção de corpos cetônicos no organismo. Essas substâncias denominadas corpos cetônicos são um excelente alimento para o cérebro. Por conseguinte, há, nesse caso, outro alimento para o cérebro e ele usufrui dessa situação, não dependendo mais somente de glicose, resultando, por uma questão de lógica, em um efeito favorável em relação a essa determinada doença neurológica.

Pode parecer “bom demais para ser verdade”. Mas, esse não seria um pensamento diretamente relacionado à autossabotagem? É fato que, a vida é algo bastante simples, e são as próprias pessoas que a complicam. Por que não pode existir um superalimento, ou, supernutriente capaz de ocasionar esses determinados efeitos?

 

Conclusão:

É comum encontrar na Internet, algum conteúdo com o intuito de denegrir a imagem do coco e seus produtos. Afirmando que seu consumo, ou uso, resultará em males para a pessoa. O fato é que, essas afirmações não possuem nenhum embasamento científico, são simplesmente conjecturas infundadas ou distorcidas.

Em um Hangout oficial com o Dr. Lair Ribeiro, o mesmo cita: “Na Amazon.com existem mais de 1000 livros sobre o óleo de coco, e todos eles são favoráveis ao seu consumo”. Referencio diversas vezes nessa postagem o Dr. Lair Ribeiro, pelo simples fato dele ser uma autoridade mundial quando o assunto é saúde, e defensor do conceito de que o óleo de coco é um superalimento.

Não é difícil chegar a uma conclusão lógica e racional sobre essa questão. Basta pesquisar e estudar um pouco apenas, para constatar que o coco e seus produtos, tanto no quesito de boa alimentação, quanto em seus inúmeros outros benefícios ao organismo do ser humano, pode ser considerado um superalimento, e, todo ser humano deveria levar em consideração incorporá-lo em sua alimentação.

 

Fontes para estudo:

Dr. Lair Ribeiro – Canal Oficial do YouTube.

Hangout com o Dr. Lair Ribeiro (24/08/16).

Hangout com o Dr. Lair Ribeiro (17/05/17).

Vídeo importantíssimo do Dr. Uronal Zancan.

Artigo Científico publicado pelo Dr. Lair Ribeiro.

 

Apenas essas fontes já são mais do que suficientes para se adquirir bastante informação sobre o óleo de coco. À partir daí, tem-se um acumulado de livros, trabalhos científicos, vídeos, outros assuntos, etc., referenciados por essas fontes, para aqueles interessados se aprofundarem na questão.

À eterna busca pelo tal crescimento exponencial infinito em todos os aspectos da consciência.

Sobre André Buzata Soares

À eterna busca pelo tal crescimento exponencial infinito em todos os aspectos da consciência.

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Deixe um comentário: